quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

TEORIA PSICOLÓGICA BEHAVIORISTA, AMBIENTALISTA, OU COMPORTAMENTALISTA

No seu desenvolvimento a teoria behaviorista baseou-se nos seguintes pressupostos:

1- Compreende a associação entre o estímulo e a resposta como o aspecto essencial da aprendizagem.

2- O reducionismo ambientalista é mais ou menos radical conforme o momento ou o investigador.

3- O ambientalismo está na base de comportamentos considerados passivos no processo de aprendizagem.

4- A crença de que todos os comportamentos, por mais complexa que sejam, se podem separar em elementos simples.

5- A universalidade das leis da aprendizagem, em qualquer ambiente ou referida a qualquer tipo de organismo.

As posturas behavioristas centraram-se na utilização de três ideias principais:

1 – Reducionismo: A experiência pode ser decomposta nas suas partes elementares. Mediante o método analítico pode-se estudá-las separadamente para estabelecer uma explicação comum.

2 – Causalidade: Tudo é explicável em forma de relações simples de causa-efeito.

3 – Determinismo: O sentido mecanicista que se dá à ordem natural das coisas leva a afirmar que tudo está predeterminado no mundo, e em última instância, o comportamento segue o rumo das leis naturais.”

A partir de um conjunto de princípios específicos da aprendizagem, que permitiam explicar a conduta do indivíduo ou animal, foram desenvolvidos pelo behaviorismo, dois modelos teóricos de aprendizagem, o CONDICIONAMENTO CLÁSSICO e o CONDICIONAMENNTO OPERANTE.

O fundamentação teórica, a partir da experimentação e da formulação experimental de princípios gerais, à semelhança do que acontece com as ciências naturais, estruturou-se ao longo das primeiras décadas do século XX nos Estados Unidos e na Europa.

PRESSUPOSTOS ESSENCIAIS DO CONDICIONAMENTO CLÁSSICO

1 – Todo o comportamento animal – incluindo o do homem – pode ser estudado em termos de estímulos e respostas.

2 –É possível conhecer e controlar a conduta na medida que os estímulos permitem prever respostas e vice-versa.

3 – Segundo Leahey, referindo-se a Watson: (...)” a aprendizagem é um processo inconsciente, de maneira a que a consciencia não desempenhava nenhum papel no aperfeiçoamento do pensamento. (...) Todo o pensamento ocorre na musculatura periférica (...).

É obvio que Watson desejava reformular os métodos, problemas e objectivos da psicologia. Substituir a introspecção pelo condicionamento clássico; as questões da atenção, do sentimento, do pensamento e a descrição da consciência, pelo problema da aprendizagem. O objectivo da explicação psicológica seria substituído pela predição prospectiva e o controle da conduta seria concebido segundo o modelo da física”.

A) SEGUNDO IVAN PETROVC PAVLOV (1849/1936 )

O condicionamento clássico, foi originalmente estudado por Pavlov que iniciou as suas pesquisas com um cão, em laboratório. Essa forma de condicionamento é o fundamento de

uma série de comportamentos reflexos involuntários.

Ao descobrir e iniciar a investigação do condicionamento clássico, como método de análise da conduta, Pavlov, através dos seus estudos sobre a conduta reflexa, estabeleceu as bases da Psicologia da Aprendizagem comportamentalista. Para ele o processo de aprendizagem consistia na formação de uma associação entre um estímulo e um resposta aprendida através da contiguidade, envolvendo alguma espécie de conexão no sistema nervoso central entre um S (estímulo) e um R (reflexo ou resposta).

Pavlov tentou associar, em experiências com animais em laboratório, um estímulo neutro (som) com uma resposta (salivação) que em princípio estava associado a outro estímulo (a comida).

B) SEGUNDO JOHN B.WATSON (1878/1958) -Partindo duma base empirista, Watson foi o iniciador da escola behaviorista, considerou a pesquisa animal a única verdadeira por ser extrospectiva e não mentalista. Com Watson, a Psicologia mudou o seu foco da consciência, dos fenómenos psíquicos, para o comportamento, da subjectividade introspectiva para os dados observáveis e verificáveis. Sofreu influência da filosofia empírista de John Locke e da psicologia fisiológica de Ivan Pavlov, de quem aceitou o condicionamento clássico para explicar a aprendizagem, admitindo que nascemos com certas conexões de estímulo-resposta chamados reflexos.

Watson foi o primeiro representante do ambientalismo, lançou o behaviorismo e transformou o estudo da aprendizagem num processo pelo qual a conduta de um organismo muda como resultado da experiência. Afirmou que não há limite para o efeito do ambiente sobre a natureza humana.

De acordo com GOULART destacam-se três pontos fundamentais no pensamento de Watson:

1 – A rejeição da introspecção como fonte insatisfatória de dados pela falta de objecvidade.

2 – A crença de que os estímulos ambientais determinam o comportamento humano.

3 – A afirmativa de que o efeito do ambiente se dá principalmente através de um processo de condicionamento de actos reflexos ou involuntários.

PRESSUPOSTOS ESSENCIAIS DO MODELO DE CONDICIONAMENTO INSTRUMENTAL OU OPERANTE:

A) EDWARD LEE THORNDIKE (1874/1949) - Thorndike foi um dos pioneiros das tentativas para compreender a aprendizagem dos animais através da realização de experiências. Para ele, aprender consistia em estabelecer uma conexão entre uma resposta e a produção de uma situação agradável e que a repetição de um acto que causava um resultado agradável, aumentava a probabilidade de ocorrência deste acto – Lei do Efeito. Fez da aprendizagem, particularmente a aprendizagem por consequências recompensadoras, um conceito central da psicologia, estabelecendo, assim, os princípios do condicionamento operante.

O seu trabalho foi influenciado por várias correntes, dentre elas estão:

1 – Teoria Evolucionista de Darwin – aproximou o comportamento humano e animal.

2 – Tradição Empirista – presumiu que a aprendizagem é a formação de laços associativos, ou conexões, processo de ligação de acontecimentos físicos (estímulos e respostas) e acontecimentos mentais (coisas sentidas ou percebidas), em várias combinações. Thorndike achava que o principal caminho para a formação de conexões do tipo S-R era através de ensaio e erro, ao acaso.

Para Thorndike a aprendizagem, é o processo (passivo, mecânico e automático) de seleccionar e associar unidades físicas e mentais, gravando as respostas correctas e eliminando as incorretas, como resultado de suas consequências agradáveis (recompensa) ou desagradáveis (punição). A esse gravar e eliminar deu o nome de consequências da Lei de Efeito, segundo a qual, se consolida a resposta seguida de satisfação e tende a desaparecer a seguida de castigo.

De acordo com BIGGE, Thorndike formulou “leis” da aprendizagem a saber:

1 –A lei de prontidão – quando uma unidade de condução (neurónio e sinapse envolvidos no estabelecimento de uma ligação ou conexão) está pronta para conduzir, conduzir é gratificante e não conduzir é irritante.

2 – A lei do efeito –uma resposta é fortalecida se seguida de prazer e enfraquecida se seguida de dor ou castigo.

3 – A lei do exercício ou da repetição – quanto mais um estímulo-resposta for repetido e se conecte com uma recompensa, será retido por mais tempo.

B) B.F. SKINNER (1904/1990) - “A psicologia de Skinner, behaviorismo operante, é uma visão moderna das primeiras psicologias mecanicistas de estímulo-resposta, como o conexionismo desenvolvido por Thorndike e o behaviorismo desenvolvido por Watson”.

Psicologia mecanicista pressupõe que todas as acções humanas são reações sequenciais a estímulos internos ou externos. (...) Skinner, como Thorndike e Watson, considera que o ser humano é neutro e passivo e que todo o comportamento pode ser descrito em termos mecanicistas sequenciais. (...) para eles a Psicologia é a ciência do comportamento”. (BIGGE)

Skinner apresentou experimentalmente o condicionamento instrumental ou operante, como alternativa ou complemento ao condicionamento clássico de Watson. A questão básica para ambos os modelos era o estabelecimento de respostas a factores determinantes. Enquanto o comportamento reflexo ou respondente (condicionamento clássico) é controlado por um estímulo precedente, o comportamento operante (condicionamento instrumental ou operante) é controlado pelas suas consequências – estímulos (reforços) que se seguem às respostas.

→No condicionamento operante, um operante (resposta) é fortalecido pelo seu reforço ou enfraquecido pela sua extinção.

→Um operante é uma série de actos ou acções que, pelas consequências que geram, são fortalecidos ou enfraquecidos de modo a aumentar ou diminuir a probabilidade da sua ocorrência. Contudo, não é a resposta específica (R) que é fortalecida, mas a tendência geral em emitir a resposta.

→O comportamento opera sobre o ambiente e gera consequências. As consequências que fortaleceram o comportamento são chamadas reforço, que se refere a qualquer evento ou estímulo que aumenta a força de algum comportamento operante.

Segundo COUTINHO E MOREIRA Skinner classificou assim os reforços presentes na relação do indivíduo com as estimulações do meio:

1. Reforço Positivo: é todo o estímulo cuja apresentação após uma resposta, aumenta a probabilidade da sua ocorrência, isto é a força da conexão resposta-estímulo.Quando atendemos aos desejos de uma criança que faz birra, estamos a fortalecer o seu comportamento de fazer birra, pelas consequências que gera.

2. Reforço Negativo: Refere-se a todo o estímulo aversivo que, quando retirado, aumenta a probabilidade de ocorrência de uma certa resposta. A retirada do estímulo aversivo (dor de cabeça) pelo uso de comprimidos aumenta o procedimento de tomar comprimidos.

3. Reforço Primário: São estímulos relacionados com as funções de sobrevivência, que têm importância biológica para o organismo.Comida, água, contacto sexual, afectividade, entre outros, por estarem ligados a funções vitais.

4. Reforço Secundário: São estímulos condicionados pelos primários, como por exemplo, o dinheiro que mesmo não sendo, directamente, de importância biológica para o indivíduo, é um meio de se conseguir alimentos e outras satisfações ligadas à sobrevivência.

Os reforços têm como objectivo aumentar a probabilidade de resposta, assim como na sua ausência a resposta torna-se menos frequente; isto é a extinção operante.

O enfraquecimento e extinção de uma resposta é a diminuição da frequência de uma resposta ou a supressão desta resposta, ainda que temporária, pela não aplicação do reforço incompatível ou punição – não atender a criança que dá birra, é enfraquecer este comportamento até à sua extinção.

Skinner considerou que o propósito da psicologia é predizer e controlar o comportamento dos organismos individuais. Limitou o estudo psicológico cientifico ao comportamento observável do organismo através da observação sensorial e definiu a Psicologia como a ciência do comportamento manifesto.

O comportamento é ”(...) o movimento de um organismo ou das suas partes num quadro de referencias oferecido pelo próprio organismo ou por vários objectos externos ou campo de força” (Skinner).

A aprendizagem é definida como uma mudança na probabilidade de resposta, quase sempre provocada por condicionamento operante, processo pelo qual uma resposta (ou operante) torna-se mais provável ou mais frequente, porque o operante é fortalecido – reforçado.

APRENDIZAGEM ESCOLAR E AS TEORIAS DO CONDICIONAMENTO

As teorias que explicam a aprendizagem, através do condicionamento reflectem uma concepção empirista do desenvolvimento e da aprendizagem humanos, uma vez que o seu pressuposto básico é o de que forças externas ao indivíduo são os determinantes principais do seu comportamento. Dentro de tal visão o indivíduo é sempre o paciente de um processo que ocorre, na maioria das vezes, à revelia da sua vontade.

O modelo do condicionamento operante é a teoria behaviorista que mais teve aplicação na aprendizagem escolar, e para Skinner ensinar é planear um programa de contingências de reforço que permita ao aluno aprender novas condutas.

TEORIAS DO CONDICIONAMENTO E A PROGRAMAÇÃO DE OBJETIVOS DE ENSINO

A ênfase que o modelo pedagógico tecnicista dá à formulação muito precisa de objectivos educativos parece ser suficiente para uma programação eficaz, de desenvolvimento de processos de aprendizagem necessários, em vez de tomá-los como “(...) primeiro passo para estudar a acção que os processos de ensino tem que desenvolver para que, estimulando e guiando os processos de aprendizagem, o aluno alcance de alguma forma, os objectivos propostos. O projecto consiste em prever o processo de ensino mais adequado para despertar o processo de aprendizagem nas condições precisas para que o aluno alcance as metas pedagógicas. Partir de objectivos claros e definidos é fundamental adequar o projecto que prefigura tanto o processo de ensino como o de aprendizagem”. (Sacristán)

A crítica realizada pelo autor citado, estabelece que esta pedagogia visa através da educação a mudança direccionada do comportamento, definindo com exactidão os objectivos operacionais que devem ser alcançados para promover estas mudanças, especificando:

1. O que o aluno deve fazer em termos de conduta final;

2. que objectivos específicos, o aluno deve alcançar, através das estratégias de ensino (acções), para manifestar a conduta prevista no objectivo geral.

Assim, surgem muitas interrogações como:

- Quantos objectivos específicos são necessários para se considerar plenamente alcançado um objectivo geral?

- Quando estará esgotado o mundo do observável, o significado de um conceito ou de um objectivo geral?

- Quais são os critérios de validação de uma hierarquia de objectivos?

- Que indicações são oferecidas de como conseguir desenvolver e dinamizar os processos necessários que influenciam o ensino?

Concluindo Sacritán argumenta:

“(...) uma psicologia que descreve o ser humano como algo estático, não pode ajudar os educadores a estabelecerem uma metodologia pedagógica para alcançar esses resultados educativos”.

AS OBJECÇÕES ESTABELECIDAS AO BEHAVIORISMO:

1 – Objecção à possibilidade de generalizar os resultados de investigação com animais ao comportamento humano – a conduta humana responde a princípios totalmente distintos dos que regem a conduta animal.

2 – Objecção ao principio básico do behaviorismo de identificação entre aprendizagem e comportamento manifesto, pois a aprendizagem é um evento ou um conjunto de eventos inobserváveis.

3 – Objecção à semelhança entre as condutas elementares dos animais com as condutas complexas humanas. Tornando o behaviorismo um enfoque reducionista no que se refere à aprendizagem humana.

4 – Objecção à consideração behaviorista do conhecimento como uma soma de informações construídas de forma linear, prescindindo por completo dos processos cognitivos (mentais).

5 – Objecção à ênfase nos resultados obtidos e nas actividades mecânicas e não nos processos internos e nas actividades criativas e descobridoras do indivíduo que aprende.

|Maria C. de Oliveira Parreiras (texto adaptado).

Fontes:

Do texto: www.robertexto.com

Dos esquemas sobre o behaviorismo: http://iafmagalhaes.blogspot.com/

Para saber mais:

- A reflexologia de Pavlov (Ficha de trabalho)


- O behaviorismo de Watson (Ficha de trabalho).


Actividades:

1. O que é o behaviorismo (comportamentalismo)? Caracterize, em traços gerais, esta corrente da Psicologia.
2. Defina o condicionamento clássico.
3. Descreva e interprete a experiência de Pavlov.
4. Defina o condicionamento operante.
5. Porque é que a lei do efeito de Thorndike é importante para estabelecer as bases do condicionamento operante? Justifique.
6. Descreva e interprete a experiência de Skinner.
7. Como é que o behaviorismo explica o desenvolvimento do ser humano? Na sua resposta deve centrar-se na teoria de Skinner (condicionamento operante) e deve ter em conta a relação entre a hereditariedade e o meio ao peso que cada um destes tem no desenvolvimento.
8. No que se refere ao desenvolvimento do ser humano, confronte a perspectiva maturacionista (Gesell) com a perspectiva behaviorista (Skinner).

4 comentários:

evandro Tiso disse...

os educadores influenciam sim na conduta dos seus alunos proporcionando uma atividade educativa, estimuladora, buscando assim o interesse do aluno querer aprender aquilo, elogiando sempre que tira boas notas nas avaliações, também repreendendo o quando tiver má conduta, fazendo o sentir que aquilo não pode fazer que há uma consequência naquele ato, ensinando o que é certo e o que é errado, punindo de forma que não prejudique a aprendizagem.

Quando criança, certas punições serve para que ela perceba que aquela atitude gera consequência. O papel do professor não é obrigar o aluno a aprender, mas sim facilitar e/ou estimular o desenvolvimento da capacidade de aprender, intervindo o mínimo possível.

Professores agressivos geram alunos agressivos, professor desinteressado ou que só quer ganhar dinheiro, não importando com a disciplina, no final reflete muito na vida cotidiana de seus alunos, assim como a educação em casa, pais agressivos refletem nos filhos a agressividade, deixa a criança vulnerável às influencias de más condutas dos coleguinhas.

Depois os pais ainda perguntam: _onde foi que eu errei na educação de meus filhos? Esquecendo que não deu bons exemplos, ou deixou que eles se sentissem a vontade fazendo o que quer, ou foi tão ausente que não percebeu o desenvolvimento dessa má conduta, assim é o educador que deve mostrar exemplos de boa conduta, chamando a atenção dos mais terríveis. Na escola muitos alunos tem o professor como um espelho para as conquistas, se for professor que sempre chega atrasado à escola, ou traz os problemas particular pra escolas isso irá refletir no desempenho de seus alunos, Alias, como que um aluno irá aprender se o seu próprio educadores se mostra desinteressado em ensinar? Também aqueles professores que são brutos e querem que os alunos tenha medo dele, possivelmente algum aluno irá ser no futuro um professor agressivo ou até mesmo em casa com a família, sendo carrasco. Existem também aqueles que tiram exemplos em seus professores e passa a gostar de tal disciplina que antes não gostava.

Exemplo de educador que influencia a conduta de seus alunos é o que a novela “CARROSSEL” mostra: “a professora Helena sabe a hora de ser boazinha, mas sabe também a hora de chamar a atenção de seus alunos” conquistando assim o carinho e o respeito dos mesmos.

Regina Dias disse...

Apesar do tema ser complexo foi muito bem desenvolvido

Regina Dias disse...

Apesar do tema ser complexo foi muito bem desenvolvido

Mabila Pureza disse...

Me ajudou bastante em uma pesquisa. Foi muito bem desenvolvido o tema!

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails