quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Uma breve história dos Tipos Psicológicos...


Artigo recolhido no site: http://www.inspiira.org/teoria.php

Em 1927, Carl Jung lança um dos seus livros, “Tipos Psicológicos”, onde ele classifica os seus pacientes, e os seres humanos em geral, de acordo com 3 critérios, que poderiam assumir duas posições opostas, criando oito tipos de personalidade diferentes. Ele não aprofunda muito os seus estudos, pois os seus métodos, apesar de terem conclusões fantásticas, eram talvez um pouco esotéricos demais.


Na década de 50, duas investigadoras, Katherine Briggs Myers e a sua filha Isabel Briggs Myers, que eram directoras duma fábrica nos EUA. Durante a Segunda Guerra Mundial, tiveram que contratar várias mulheres para ocuparem o lugar dos homens que foram para a guerra. Elas começaram a observar grandes diferenças de comportamento entre as suas operárias, e como conheciam o trabalho de Jung, pensaram em desenvolver um indicador que pudesse captar os tipos psicológicos das pessoas, para que se pudesse encaixá-las dentro dos diferentes tipos psicológicos, para entender as suas expectativas, comportamento, entre outras características descritas por Jung.


Estudando um pouco mais da teoria, e aplicando-a na prática, elas identificaram que havia mais um factor em jogo, que alterava toda a estrutura dos outros três. Chegaram assim a 16 tipos, organizados pelos critérios: Extroversão/Introversão, Sensação/Intuição, Pensamento/Sentimento e Julgamento/Percepção. Elas então criaram o indicador e chamaram-no de Myers Briggs Type Indicator, que é como ele é conhecido hoje em dia.


Segue uma explicação breve das dimensões e características dos tipos:


A primeira dimensão do tipo de personalidade diz respeito a como interagimos com o mundo e, principalmente, onde obtemos e onde dirigimos a nossa energia.


Extrovertidos (E)



  • Ganham energia quando interagem com outras pessoas

  • Gostam de concentrar a sua energia no mundo externo das coisas e das pessoas

Introvertidos (I)



  • Ganham energia quando despendem o tempo sozinhos

  • Gostam de concentrar a sua energia no mundo interno das ideias e dos pensamentos

A segunda dimensão do tipo descreve as duas maneiras diferentes como as pessoas percebem, ou assimilam as informações. Que espécie de informação notamos naturalmente? Algumas pessoas concentram-se no que é, enquanto outras no que é possível.

Sensoriais (S)



  • Normalmente prestam mais atenção a factos e detalhes

  • São pessoas mais realistas e práticas

Intuitivos (N)



  • Tentam entender as conexões, significados e implicações

  • São pessoas mais imaginativas e criativas

A terceira dimensão do tipo relaciona-se com a maneira como tomamos decisões e chegamos às conclusões. Todos nós apresentamos uma preferência natural inata para tomar decisões baseadas na lógica ou nos nossos sentimentos e valores pessoais.


Pensadores (T)



  • Tomam as decisões mais objectivamente, pesando os prós e contras

  • Valorizam a lógica e a justiça; um mesmo padrão para todos

Sentimentais (F)



  • Tomam as decisões baseados em como se sentem acerca de cada assunto e como os outros serão afectados

  • Valorizam a empatia e a harmonia; vêem a excepção para a regra

A quarta dimensão do tipo de personalidade relaciona-se com o facto de se preferimos viver de uma maneira mais organizada (tomando decisões) ou de uma maneira mais espontânea (assimilando informações).

Julgadores (J)



  • São mais felizes depois das decisões terem sido tomadas

  • Tendem a tomar as decisões rápida e facilmente

Perceptivos (P)



  • São mais felizes deixando as suas opções abertas

  • Tendem a sentirem-se ansiosos e inseguros ao tomarem decisões

Existem mais características observáveis em cada um dos critérios, mas acho que estas podem dar uma boa ideia do que cada critério mede. Então, conjugando essas quatro dualidades, obtêm-se 16 diferentes tipos psicológicos, que podem ser agrupados como subgrupos usando diferentes critérios, com diferentes aplicações.


Na década de 70, David Keirsey, psicólogo americano, lançou um livro com um nome não muito pretensioso, pelo menos para os académicos: “Please Understand Me”. Neste livro, ele criou um desses subgrupos que citei acima, que ele veio chamar de Temperamentos.


O modelo utilizado para os 4 temperamentos (contendo 4 tipos cada um), já havia sido usado no campo da Filosofia, desde Galeno, e os gregos antigos, alguns até bastante conhecidos, como Platão e Aristóteles.


Este modelo do Keirsey uniu a teoria proposta por Jung, o critério extra desenvolvido pela família Myers Briggs e também a ideia delas do indicador, mais a teoria dos Temperamentos que foi designado por diferentes nomes na história da Psicologia, e definiu os quatro Temperamentos, que são definidos pela presença de duas letras específicas no tipo das pessoas:



  • SP: Sensorial Perceptivo (chamados Artesãos) – Tipos: ISFP, ESFP, ISTP, ESTP

SPs desejam estar onde está a acção; eles procuram aventura e anseiam por prazer e estimulação. Marvin Zuckerman, um psicólogo americano, definiu esse tipo como "a personalidade que busca sensação". Os SPs acreditam que a variedade é o tempero da vida, e que fazer coisas que não são divertidas ou excitantes é uma perda de tempo.



  • SJ: Sensorial Julgador (chamados Guardiões) – Tipos: ISFJ, ESFJ, ISTJ, ESTJ

SJs são pessoas sensatas, realistas e que são a espinha dorsal das instituições e os verdadeiros estabilizadores da sociedade. Eles acreditam em seguir as regras e cooperar com as autoridades; de facto, eles não se sentem nada bem em improvisar ou causar problemas ou conflitos.



  • NF: Intuitivo Sentimental (chamados Idealistas) – Tipos: INFP, ENFP, INFJ, ENFJ

Os NFs acreditam que a cooperação amigável é a melhor forma para que as pessoas atinjam os seus objetivos. Eles sonham em remover os muros de egoísmo e dos conflitos que dividem as pessoas e têm um talento único para ajudar as pessoas a resolver as suas diferenças e assim trabalharem juntas. Tal harmonia interpessoal poderia ser um ideal romântico, mas os NFs são românticos incuráveis que preferem concentrarem-se no que poderia ser em vez do que no que é.



  • NT: Intuitivo Pensador (chamados Racionais) – Tipos: INTJ, ENTJ, INTP, ENTP

Seja qual for o seu campo, os NTs esforçam-se por compreender o mundo natural em toda a sua complexidade. NTs desejam aprender acerca dos princípios abstratos ou leis naturais que descrevem a realidade, como também em descobrir a estrutura e função dos sistemas complexos do mundo; sejam sistemas mecânicos, orgânicos ou sociais. Eles são completamente pragmáticos acerca de como ganharão esse conhecimento.


Em resumo, os artesãos seriam as pessoas que curtem o momento, e querem viver todas as oportunidades, e aceitam o que lhes for dado. Os guardiões são os pilares da sociedade, e as pessoas que querem manter tudo como está a ser feito, os tradicionalistas (os conservadores). Os idealistas são aquelas pessoas que vivem no mundo das ideias, sem se preocuparem muito de que maneira vão executar qualquer plano de acção. E os racionais são preocupados com conceitos, ideias e teorias, e estão preocupados de que maneira podem usar os seus conhecimentos para terem um impacto positivo na vida das pessoas. Grandes cientistas da história pertencem a este último grupo.


Leia também seu relatório vocacional:

INFJ
INTJ
ISFP
ESFJ

ENFJ
ENTP
ESTP
ESTJ

INFP
INTP
ISTP
ISTJ

ENFP
ENTJ
ESFPISFJ

Conheça também os relatórios dos 16 Tipos:


INFJ
INTJ
ISFP
ESFJ

ENFJ
ENTP
ESTP
ESTJ

INFP
INTP
ISTP
ISTJ

ENFP
ENTJ
ESFP

ISFJ

Não se esqueça de preencher o cadastro e responder ao nosso teste de personalidade.

Um comentário:

Renan Martin disse...

Oie! ENFP que escreve? Participe e conheça a idéia de um blog feito só por ENFPs! Sua participação é importante!

Grupo do Facebook:
http://www.facebook.com/groups/410797268937537/

Descrição da idéia:
http://euemyers-briggs.blogspot.com.br/2012/03/projeto-enfp.html

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails